quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


Hoje eu queria te falar da minha dor,
das palavras que rasgam,
dos pré-conceitos concebidos – criados erroneamente, e pior, certamente divulgado.
Dói. Eu queria te contar e ter, hoje, seu colo para chorar.
Acontece que estou a aprender a ser só,
e viver com o vazio ao lado, camará, não é tarefa fácil.
Mas eu sou forte.
Eu me garanto.
Eu, eu sei de mim.
Mas ahhh camará, essa noite eu queria ter seu colo para me embalar.

6 comentários:

S* disse...

Força... este texto transmite mesmo vazio.


(acabo de te seguir no Instagram)

Anna Amorim disse...

Q imagem cortante, Carol! Corajoso usá-la.
Sabe e no colo q começamos a vida, mal ou bem, pq nem todos colos são abrigo, pq há colos ansiosos p q nós acalmemos, há colos apressados, há colos rasos, mas se estamos aqui muito já deu certo!
Compreensão é tudo, não?
Um enorme abraço

disse...

eu tambem estou precisando de um colo e de uma amizade/amor sincero...
quem nao quer né?

beijos

estou de volta.

Fred Caju disse...

Sua gatona!

Anna Amorim disse...

Carol,

Passando p desejar um lindo final de domingo!

uma grande abraço

Mateus Medina disse...

A solidão às vezes é boa. Umas poucas vezes necessária. Mas a verdade é que ninguém "se basta" sozinho...

bjos